Vamos a Sintra… em “Os Maias”

Porque Carlos queria provocar encontro casual com Maria Eduarda:

 «- Iam pelo Chiado abaixo; anteontem, às duas horas… Estou convencido que iam para Sintra. […] 

Carlos ficou ainda um momento olhando o jogo, com uma cigarette apagada nos dedos, o mesmo ar distraído: de repente, pareceu tomar uma decisão, atravessou o corredor, entrou na sala de música. Steinbroken fora ao escritório ver Afonso da Maia, e a partida de whist; e Cruges só, entre duas velas do piano, com os olhos errantes pelo tecto, improvisava para si, melancolicamente.

– Dize cá, Cruges – perguntou-lhe Carlos – queres vir amanhã a Sintra? […] 

Correu à Lawrence por um caminho diferente, ávido de uma certeza: – e aí, o criado que lhe apareceu disse-lhe que o sr. Salcede e os senhores Castro Gomes tinham partido na véspera para Mafra…»

Caros alunos, temos aqui uma boa parte do capítulo VIII e outros momentos da obra:

Segue também a ficha de trabalho, que será guia desta nossa visita virtual.

UmOlharDeMonóculo[1]

Boas viagens!

IA

Anúncios

Publicado por

isauraafonseca

Professora do Ensino Secundário - Português

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s