Intervalando com simplicidade e beleza

Assim, um pouco como na lírica camoniana, quando o amor não é correspondido ou é apenas vivido a um só coração…

IA

Amar pelos dois

Se um dia alguém
Perguntar por mim
Diz que vivi
Para te amar

Antes de ti
Só existi
Cansado e sem nada p’ra dar
Meu bem
Ouve as minhas preces
Peço que regresses
Que me voltes a querer

Eu sei
Que não se ama sozinho
Talvez devagarinho
Possas voltar a aprender

Se o teu coração
Não quiser ceder
Não sentir paixão
Não quiser sofrer

Sem fazer planos
Do que virá depois
O meu coração
Pode amar pelos dois

Luísa Sobral

Não fazes favor nenhum em gostar de alguém

nem eu

nem eu

nem eu

quem inventou o amor

não fui eu

não fui eu

não fui eu

não fui eu

nem ninguém

 

O amor acontece na vida

estavas desprevenida

e por acaso eu também

e como o acaso é importante querida

de nossas vidas a vida fez um acaso também

 

Não fazes favor nenhum em gostar de alguém

nem eu

nem eu

nem eu

quem inventou o amor

não fui eu

não fui eu

não fui eu

não fui eu nem ninguém

Anúncios

Publicado por

isauraafonseca

Professora do Ensino Secundário - Português

2 opiniões sobre “Intervalando com simplicidade e beleza”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s