Pintura e Camões (3)

O Nascimento de Vénus é uma obra do pintor italiano Sandro Botticelli, que procura captar o momento em que a deusa do amor e da beleza nasceu.

“Colocada no centro da composição, a Deusa ergue-se sobre uma concha que se aproxima da costa, empurrada pelo doce movimento das ondas e acompanhada por dois personagens, tradicionalmente associados aos deuses do vento que tentam imprimir a Vénus a sua essência divina.” (in https://www.infopedia.pt/$o-nascimento-de-venus-(pintura))

Esta pintura renascentista realça a beleza da mulher, neste caso de uma deusa. Esta característica pode relacionar-se com a lírica camoniana, na medida em que Camões, por influência petrarquista, destaca a beleza feminina, divinizando-a, descrevendo-a como inumana e até  “celeste”. É um ser divino, de pele e cabelos claros e todos os elementos físicos na sua descrição são reveladores das qualidades da sua alma.

Mais aspetos sobre esta obra de arte de Botticelli podem ser descobertos neste site brasileiro: http://www.infoescola.com/pintura/o-nascimento-de-venus/

Destaco, no entanto, os seguintes parágrafos, que foram adaptados à ortografia do português europeu:

Acredita-se que a nudez da deusa não representa a paixão carnal, mas sim a paixão espiritual. Na obra, Vénus é apresentada de forma esguia e com traços harmoniosos. Além disso, Botticelli utiliza cores claras e puras, exaltando a pureza da alma e a beleza clássica.

Em sua totalidade, a obra apresenta serenidade e luminosidade, o que pode ser compreendido de duas formas. De certa maneira, aponta para a temática mitológica, levando-se em consideração a influência das esculturas gregas na composição da Vénus. Por outro lado, a obra apresenta símbolos cristãos como a concha e a água (batismo de Jesus Cristo), além dos anjos, que seriam Zéfiro e Clóris.” 

Bibliografia: http://www.infoescola.com/pintura/o-nascimento-de-venus/ e
https://www.infopedia.pt/$o-nascimento-de-venus-(pintura)

Inês Cardoso, n.º 7

Retrato de Simonetta Vespucci

“Simonetta Vespucci” é um quadro de Sandro Botticelli, pintor renascentista, que nasceu em Florença, em 1445.

Desenvolveu um estilo caracterizado pela elegância do seu traçado e pela força expressiva das suas linhas. Pertence a um grupo de pintores que exploraram um estilo baseado na delicadeza, graça e num certo sentimentalismo.” (in http://www.infoescola.com/biografias/sandro-botticelli/)

 (…)

O retrato desta mulher é influenciado pela conceção de ideal da beleza feminina de Petrarca e, por isso, a “amada” surge pintada como um ser angélico, com cabelos “de ouro”, ondulados, com pele branca e delicada, com olhos claros e cintilantes, que refletem um temperamento sereno e uma alegria discreta. A sua presença é, por isso, serena e gratificante para quem a vê.

Esta representação da mulher está relacionada com a conceção platónica do amor ideal (espiritual) e inacessível. (…)

A poesia de Petrarca inspirou cores suaves, que Botticelli explorou na sua pintura, assim como Camões na sua poesia. As cores utilizadas na descrição da amada podem ser comparadas a elementos da natureza: cabelos/ouro; olhos/sol; faces/rosas; lábios/coral. Esta mulher perfeita e inatingível enquadra-se na harmonia da natureza. Neste quadro de Botticelli, a natureza está presente nas pérolas e nas plumas dos seus cabelos e nas cores que já referi.

Inês Pinto, n.º 8

Bibliografia: http://www.infoescola.com/biografias/sandro-botticelli/ 
e https://rainhastragicas.com/2016/09/27/a-venus-da-renascenca/
Anúncios

Publicado por

isauraafonseca

Professora do Ensino Secundário - Português

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s