Páscoa é também transformação

O dia da celebração da Páscoa cristã foi estabelecido por decreto do Primeiro Concílio de Niceia (ano 325 d.C), devendo ocorrer sempre no primeiro domingo após a primeira lua cheia do equinócio da primavera (no Hemisfério Norte) e do outono (no Hemisfério Sul).

Etimologicamente, o termo Páscoa originou-se a partir do latim Pascha, que, por sua vez, deriva do hebraico Pessach Pesach, que significa “passagem”. Passagem, mudança, transformação significados tão próximos…

É talvez a celebração cristã mais importante pois associa-se à ressurreição de Cristo. Fiquemos, por isso, com este “Panis Angelicus”!

Mas, hoje, devemos celebrar a Páscoa também numa “vocação” ecológica e seguirmos os passos dos japoneses, que, transformando, reciclando, cuidam do planeta e dos seus idosos. Pelo menos, é isso que esta reportagem brasileira nos revela. 

Parece que os suecos fizeram também o mesmo…

E nós por cá por que esperamos?

Tenham uma Páscoa feliz!

IA

Publicado por

isauraafonseca

Professora do Ensino Secundário - Português

2 opiniões sobre “Páscoa é também transformação”

  1. Gostei muito, Isaura, da ligação que fizeste da Páscoa à Ecologia.
    A música que escolheste é belíssima e os exemplos de reciclagem também, porque, assim, pode transformar-se o mundo num local onde todos possam mais facilmente passear, como junto do tal rio da Suécia.
    Continuação de bom e feliz tempo pascal.
    Um abraço
    Dolores
    P.S. Esta Páscoa foi mortífera no Sri Lanka. Para quando a transformação das mentes?

    Gostar

  2. Muito bom dia, Dolores!
    Começo por pedir desculpa pelo atraso deste meu agradecimento.
    De facto, deve ser muito bom passear junto do tal rio da Suécia!
    Temos de acreditar que é possível ainda fazermos alguma coisa que proteja a casa de todos nós. Como tu alertas também no teu blog (Olá)Mariana, citando alguma autoridade neste domínio, “não há plano B, porque não há planeta B”!
    Quanto ao Sri Lanka, é mais uma prova de que temos mesmo de mudar a nossa forma de pensar, a nossa forma de estar. E digo “nossa”, porque, mesmo não sendo terroristas como os responsáveis por esta atrocidade, não deixamos de ser, com as nossas ações e alguns pequenos gestos, terroristas da nossa própria existência, acabando por afetar também a dos que nos cercam.
    Enfim…
    vamos acreditar que é possível mudar(mos)!

    Um beijinho grande e muito obrigada pela tua presença, aqui neste Paraíso virtual.
    IA

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s