“Come a little bit closer”…

Uma forma suave de começar 2020… Com uma versão, por mãos portuguesas, de um clássico da autoria de Neil Young.

Harvest Moon

«Come a little bit closer
Hear what I have to say
Just like children sleepin’
We could dream this night away

But there’s a full moon risin’
Let’s go dancin’ in the light
We know where the music’s playin’
Let’s go out and feel the night

Because I’m still in love with you
I want to see you dance again
Because I’m still in love with you
On this harvest moon

When we were strangers
I watched you from afar
When we were lovers
I loved you with all my heart

But now it’s gettin’ late
And the moon is climbin’ high
I want to celebrate
See it shinin’ in your eye

Because I’m still in love with you
I want to see you dance again
Because I’m still in love with you
On this harvest moon»

 

Um bom ano para todos!

IA

 

Natal 2019

Um Santo Natal para todos!

IA

na hora de pôr a mesa, éramos cinco

na hora de pôr a mesa, éramos cinco:
o meu pai, a minha mãe, as minhas irmãs
e eu. depois, a minha irmã mais velha
casou-se. depois, a minha irmã mais nova
casou-se. depois, o meu pai morreu. hoje,
na hora de pôr a mesa, somos cinco,
menos a minha irmã mais velha que está
na casa dela, menos a minha irmã mais
nova que está na casa dela, menos o meu
pai, menos a minha mãe viúva. cada um
deles é um lugar vazio nesta mesa onde
como sozinho. mas irão estar sempre aqui.
na hora de pôr a mesa, seremos sempre cinco.
enquanto um de nós estiver vivo, seremos
sempre cinco.José Luís Peixoto, in ‘A Criança em Ruínas

Voto de Natal

Acenda-se de novo o Presépio no Mundo!
Acenda-se Jesus nos olhos dos meninos!
Como quem na corrida entrega o testemunho,
passo agora o Natal para as mãos dos meus filhos.

E a corrida que siga, o facho não se apague!
Eu aperto no peito uma rosa de cinza.
Dai-me o brando calor da vossa ingenuidade,
para sentir no peito a rosa reflorida!

Filhos, as vossas mãos! E a solidão estremece,
como a casca do ovo ao latejar-lhe vida…
Mas a noite infinita enfrenta a vida breve:
dentro de mim não sei qual é que se eterniza.

Extinga-se o rumor, dissipem-se os fantasmas!
O calor destas mãos nos meus dedos tão frios?
Acende-se de novo o Presépio nas almas.
Acende-se Jesus nos olhos dos meus filhos.

David Mourão-Ferreira, em ‘Cancioneiro de Natal’

Lado Esquerdo, de Clã, e a “Dor de Pensar”, de Pessoa

Uma outra abordagem à dicotomia SENTIR/PENSAR, que está na base de parte da produção poética de Pessoa ortónimo, é o que vos proponho hoje.

Uma canção e uma atividade.

  1. Proceda à audição do tema, da autoria da banda musical Clã, e faça o levantamento das diferentes expressões que estão associadas ao “lado esquerdo”.
  2. Caracterize o “outro” lado.
  3. Explicite a relação que esses dois lados do sujeito poético estabelecem com a dicotomia pessoana SENTIR/PENSAR.

Bom trabalho!

IA

Tentando afinar-me num agosto “desafinado”

Dia para ouvir João Gilberto

E para (re)ler um poema de Al berto que parece enquadrar-se com a “reclusão” que João Gilberto viveu nos últimos anos da sua vida.

14 de janeiro

 

todo o santo dia bateram à porta. não abri, não me apetece ver pessoas, ninguém.
escrevi muito, de tarde e pela noite dentro.

curiosamente, hoje, ouve-se o mar como se estivesse dentro de casa. o vento deve estar de feição. a ressonância das vagas contra os rochedos sobressalta-me.

desconfio que se disser mar em voz alta, o mar entra pela janela.

sou um homem privilegiado, ouço o mar ao entardecer. que mais posso desejar?

e no entanto, não estou alegre nem apaixonado. nem me parece que esteja feliz.

escrevo com um único fim: salvar o dia.

 

Fiquem bem!

IA

Uma vitória, uma moeda – 2019

Imagem relacionada

Ainda não começou o campeonato da Primeira Liga de Futebol 2019-2020, mas já podemos começar a amealhar vitórias, ou a preparar-nos para… 

Relembro esta iniciativa solidária, lançada no ano passado. 

Por cada vitória da nossa equipa preferida, metemos uma moeda (à nossa escolha) num mealheiro, que abriremos no final do campeonato. Com o valor apurado, podemos ajudar uma instituição social. O meu mealheiro vai para a APPDA Norte.

Podemos também amealhar as vitórias da Seleção Nacional ou de mais equipas. Podemos jogar com outras modalidades desportivas. Enfim, tantas possibilidades! Cada um tem total liberdade na gestão do seu mealheiro. Haja moedas suficientes para tantas vitórias!

Anexo de novo a história da Maria Clara Miguel, que, de forma descontraída, avança com muitas sugestões.

Um pensamento positivo

E termino este artigo com votos de excelentes férias de verão, finais (de jogos) felizes e um dos setenta temas musicais selecionados por um dos meus realizadores preferidos – Quentin Tarantino!

É um dueto bastante harmonioso… Não sei se se adequa ao contexto competitivo que impera no mundo desportivo, mas fica a título de convite… Como se fóssemos juntos, mesmo sendo “rivais”, assistir a um empolgante jogo…

Viens, Mallika!

IA