Porque ler é muito bom!…

E fica aqui uma pequena passagem de um dos livros que faz parte do Projeto Individual de Leitura (PIL) para o décimo ano.

“Não há acasos, não há coincidências. Será possível? Até agora, apenas ousei expor estas ideias a Farid e a resposta que os seus gestos me deram foi: «Mas não achas que o teu tio podia servir melhor o povo judeu vivo do que morto?»

Richard Zimler, O último cabalista de Lisboa

Berequias Zarco, sobrinho de Abraão Zarco (o último cabalista de Lisboa), no decorrer da Páscoa sangrenta de 1506, descobre o tio violentamente assassinado, na cave de casa, que servia de templo secreto desde que a Sinagoga fora encerrada pelos cristãos velhos. Começa então para este jovem judeu, aparentemente “convertido” ao cristianismo, uma investigação determinada, que o levará à descoberta do assassino. É auxiliado nessa demanda pelo seu grande amigo Farid, um muçulmano surdo-mudo. 

O excerto acima é uma pequeníssima amostra das reflexões de Berequias, simultaneamente narrador e personagem principal desta intriga cheia de nublosos mistérios.

Mais tarde, voltarei aqui com passagens dos outros livros selecionados.

Boas leituras!

IA

Anúncios